domingo, 30 de outubro de 2011

Grupo extremista islâmico mata evangelista que ministrava no meio do povo

Já em estado de alerta contra ataques do Boko Haram, que se originaram na região de Borno, os cristãos novamente se esconderam após o ataque contra Mark Ojunta, um evangelista de 36 anos que estava ministrando no meio do povo de Kodoko, com o Ministério Calvário (Capro). Ele foi assassinado em Maiduguri.

Amos Aderonmu, diretor internacional da Capro, disse que Ojunta morreu como um mártir no campo missionário. A Capro entendeu que os membros de sua equipe que trabalham com populações árabes estão na lista de pessoas a ser mortas pelo Boko Haram e, por isso, alguns foram evacuados, segundo Aderonmu.

“O irmão Mark levou sua família para fora da cidade, mas ainda voltou porque tinha que dar aula para alguns crentes no dia seguinte”, disse Aderonmu. “Foi nessa noite que o Boko Haram cercou o local onde eles estavam reunidos. Mark tentou fugir, mas não conseguiu.”

Em sua declaração, Aderonmu disse que, quatro dias antes da sua morte, Ojunta tinha recebido um convite para sair desse trabalho com as pessoas na Nigéria e ter uma posição administrativa na Capro Internacional, em Londres.

Aderonmu disse que Ojunta foi o primeiro mártir da Capro em seus 36 anos de existência como ministério. Ojunta era marido de Ema e tinha dois filhos: Kambe, de 3 anos de idade e Akira, de 9 anos.

Hoje vamos orar e jejuar por aqueles que estão passando grandes aflições por amor a Cristo contamos com você.

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Todos os domingos JEJUM e INTERCESSÃO pelos cristãos perseguidos

Clame por Eritreia!
A perseguição

Os cristãos estão sofrendo a pior perseguição de toda a história da Eritreia.
A Constituição de 1997 prevê liberdade religiosa, no entanto, ela ainda não foi implementada. Assim, não é permitida a distribuição de Bíblias no Exército e nas escolas.
Desde Setembro de 2001, foi suspensa definitivamente toda impressão de materiais religiosos (papéis e livros devocionais ou particulares etc.).

Desde maio de 2002, todas as igrejas evangélicas estão fechadas por ordem do governo e precisam de autorização para funcionar. A prática de prender aqueles que se reúnem ou exercem qualquer outra atividade religiosa sem a autorização do governo já causou a prisão de mais de dois mil cristãos. Eles são mantidos em condições desumanas, presos em contêineres de metal ou em celas subterrâneas.

Os evangélicos não têm personalidade jurídica e, até agora, os registros para suas igrejas não foram concedidos. Atualmente, a igreja evangélica reúne-se ilegalmente nas casas. O governo controla as escolas que eram cristãs e reluta em registrar outras. Em 2002, o governo do presidente Isaías Afworki fechou as 12 igrejas protestantes independentes da Eritreia, proibindo suas congregações de se reunir até mesmo em casas. Desde então, pastores, soldados, mulheres, adolescentes, crianças e idosos foram presos quando surpreendidos em uma reunião, lendo a Bíblia e orando em grupos. O estado reconhece somente quatro instituições religiosas "históricas" no país, a saber: o islamismo e as igrejas ortodoxa, católica e luterana evangélica.

Dois líderes-chave da Igreja do Evangelho Pleno, uma das maiores denominações pentecostais da Eritreia, foram presos às seis horas da manhã de 23 de maio de 2004, em suas casas, em Asmara. Durante as detenções, os policiais confiscaram as chaves dos gabinetes pastorais, ameaçando verbalmente suas esposas. Haile Naizgi, que exerce o cargo de presidente da Igreja do Evangelho Pleno e o Dr. Kifle Gebremeskel, como presidente da Aliança Evangélica na Eritreia, estão presos em Asmara sem nenhum contato com suas famílias ou visitantes.

Na mesma época, uma cantora cristã eritreia também foi presa, em uma operação do Ministério da Defesa, apesar de ter cumprido seu serviço militar e nacional obrigatório. Helen Berhane era membro da Igreja Rema e havia lançado um CD que se tornara popular entre os jovens. Ela não atendeu às exigências: assinar um documento renegando sua fé em Cristo, prometendo não cantar mais, não compartilhar sua fé em Cristo e não realizar quaisquer atividades cristãs na Eritreia.
Por isso, Helen ficou presa até o início de 2007. Ela saiu do país clandestinamente naquele ano e conseguiu asilo na Dinamarca, onde mora com sua filha.

Amanhã dedique algumas horas de Jejum e faça uma oração especial pelos cristãos perseguidos.

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Atenção grupo de Intercessão!

Estamos na 3º etapa campanha " Dando o melhor pelos povos não evangelizados" Jejum Segunda, Quarta e Sexta, e 30 minutos no mínimo de Intercessão todos os dias, contamos com você Intercessor, os que ainda não estão no grupo entre em contato conosco para fazer parte deste exercito grupodeintercessores@hotmail.com pois precisamos de pessoas que estejam dispostas a se sacrificar em Jejum e Intercessão pela evangelização dos povos não evangelizados da janela 10/40.


No centro do nosso mundo vive um grande numero de povos não alcançados, compreendidos numa porção retangular, identificada como “Janela 10-40”.
Aproximadamente 95% das pessoas menos alcançadas pelo evangelho são habitantes da Janela 10-40; e entre os 52 países menos evangelizados do mundo 31 estão nela, são 62 países na janela com 3,8 bilhões de pessoas, das quais 1,8 bilhões nunca ouviram de Cristo, Cristianismo ou Evangelho.

O mundo tem 6,5 bilhões de habitantes em 252 países e 60% da população mundial vive na Janela 10-40; os países da janela são também em sua maioria os de maior intolerância aos cristãos e ao evangelho; Numa lista das 50 maiores cidades do mundo, todas estão na Janela; 81% dos mais pobres do mundo também estão na Janela 10-40, são eles 26% da população mundial, e em sua maioria os habitantes dela são adeptos do Islamismo, Hinduismo e Budismo.
O termo “Janela 10-40” originou-se com Luis Bush durante a 2ª conferencia de Lausanne Manilla, em Julho de 1989.

Esta região do mundo, antes conhecida como “Cinturão de Resistência”, estende-se desde o oeste da África até o leste da Ásia, sendo 10 graus de longitude e 40 de latitude acima da linha do Equador, há um domínio terrível do diabo nesta região há necessidade de uma dedicação extrema á oração e jejum pelos povos da janela 10/40.

sábado, 22 de outubro de 2011

Eles estão sofrendo perseguições terríveis, dedique um jejum e ore conosco todos os domingos pela igreja perseguida!

Muçulmanos da Indonésia protestam, bradando suas espadas e mostrando que estão prontos para a “Jihad” (Guerra Santa), durante uma manifestação no complexo esportivo Senayan, em Jacarta (Indonésia). Os muçulmanos se reuniram para discutir sobre uma guerra contra a minoria cristã, depois que o governo ordenou o final da briga entre extremistas nas províncias de Maluku



A ascensão do extremismo islâmico coloca uma pressão cada vez maior sobre os cristãos que vivem em países muçulmanos, que são vítimas de assassinatos, violência e discriminação. Os cristãos agora são considerados o grupo religioso mais perseguido em todo o mundo. Paradoxalmente, sua maior esperança vem do Islã politicamente moderado.
Kevin Ang é mais cauteloso hoje em dia. Ele espia ao redor, dá uma olhada para a esquerda para a longa fileira de lojas, e depois para a direita em direção à praça, para checar se não há ninguém por perto. Só então o zelador da igreja tira sua chave, destranca o portão, e entra na Igreja Metro Tabernacle num subúrbio de Kuala Lumpur.
A corrente de ar vira páginas queimadas da Bíblia. As paredes estão cobertas de fuligem e a igreja cheira a plástico queimado. A Igreja Metro Tabernacle foi a primeira de onze igrejas a serem incendiadas por muçulmanos revoltados – tudo por causa de uma palavra: “Alá”, sussurra Kevin Ang.


Tudo começou com uma questão – se os cristãos daqui, assim como os muçulmanos, poderiam chamar seu deus de “Alá”, uma vez que eles não têm nenhuma outra palavra ou língua à sua disposição. Os muçulmanos alegam que Alá é deles, tanto a palavra quanto o deus, e temem que se os cristãos puderem usar a mesma palavra para seu próprio deus, isso poderia desencaminhar os fiéis muçulmanos.
Durante três anos isto era proibido e o governo confiscou Bíblias que mencionavam “Alá”. Então, em 31 de Dezembro do ano passado, o mais alto tribunal da Malásia chegou a uma decisão: o deus cristão também poderia ser chamado de Alá.


Os imãs protestaram e cidadãos enfurecidos jogaram coquetéis Molotov nas igrejas. Então, como se isso não bastasse, o primeiro-ministro Najib Razak declarou que não podia impedir as pessoas de protestarem contra determinados assuntos no país – e alguns interpretaram isso como um convite para a ação violenta. Primeiro as igrejas foram incendiadas, depois o outro lado revidou colocando cabeças de porcos na frente de duas mesquitas. Entre os habitantes da Malásia, 60% são muçulmanos e 9% são cristãos, com o restante composto por hindus, budistas e sikhs. Eles conseguiram viver bem juntos, até agora.
É um batalha por causa de uma única palavra, mas há muito mais envolvido. O conflito tem a ver com a questão de quais direitos a minoria cristã da Malásia deve ter. Mais que isso, é uma questão política. A Organização Nacional dos Malaios Unidos, no poder, está perdendo sua base de apoio para os islamitas linha dura – e quer reconquistá-la por meio de políticas religiosas.


    sábado, 15 de outubro de 2011

    Hoje Jejum e Intercessão pela igreja perseguida contamos com você!

    SOMÁLIA: Cristão decapitado
    Após uma extensa busca pelo paradeiro de Juma Naradin Kamil, os cristãos da região de Bakool, sudoeste da Somália, encontraram o corpo decapitado de Kamil. Ele, que fora sequestrado, trazia no corpo marcas de uma execução feita pelo grupo terrorista muçulmano Al-Shabab.
    “É comum a Al-Shabab decapitar aqueles que abraçam a fé cristã, ou mesmo de meros simpatizantes dos ideais ocidentais,” disse um cristão local, a agência de notícias Compass Direct News. “Nosso irmão Kamil aceitou a fé cristã há três anos e estava determinado em sua fé em Deus. Sentiremos muito a falta dele.”
    O sequestro aconteceu em 21 de Agosto quando três homens da Al-Shabab forçaram Kamil a entrar em um carro. Muitos cristãos locais acreditam que os extremistas estavam acompanhando a rotina de Kamil para executarem a tarefa.

    A Al-Shabab tem cerca de 7 mil membros. Eles procuram, através de ameaças e atos violentos, impor uma versão estrita da Sharia, lei islâmica, em todo território muçulmano. O principal objetivo de grupo é eliminar o cristianismo da Somália.

    No início deste ano, dois extremistas muçulmanos assassinaram um membro de uma comunidade cristã subterrânea na Somália, e também mataram uma mãe de quatro filhos, Asha Salat, por sua fé cristã.

    Fonte: Compass Direct News

    domingo, 9 de outubro de 2011

    sexta-feira, 7 de outubro de 2011

    Este é o relato verdadeiro da luta de um homem para sobreviver em um campo de trabalhos forçados soviético
    Seu crime: A escolha de seguir JESUS CRISTO!

    ALEXANDER diz:
    A fome continua... Não por alguns dias, mas por semanas, meses, anos.
    Você não consegue se livrar dela.
    Outra sensação contínua é o frio incessante; um frio terrível.
    Às vezes, eu senti como se minha circulação sanguínea fosse parar.
    Eu estava impressionado com meu poder de resistência, porque, sem dúvida, eu devia ter ficado gravemente doente ou morrido há muito tempo.



    “NORTE DA SIBÉRIA”

    ALEXANDER diz:
    Certa noite fui atirado numa cela com uma janela quebrada.
    A KGB estava determinada a fazer um experimento e me congelar.
    Depois diriam: “Ele quebrou a janela da cela e morreu de frio”.
    Eu me desesperei. pensei comigo mesmo:
    “Deus me deixou? Fui completamente esquecido e abandonado? Meus anos de sofrimento foram em vão?”
    E no meu desespero, comecei a orar.
    Normalmente, eu orava em silêncio, mas, naquela vez, comecei a clamar a Deus em voz alta:
    “Deus, o Senhor me deixou?”
    Minhas lágrimas brotavam de um coração em total desespero.


     “FILIPINAS”

    CRISTÃ:
    Certa noite eu tive um sonho.
    Nele me foi dito para orar por Alexander.
    Eu não tinha idéia de quem era ele, mas eu disse a minha igreja e começamos a orar por ele.

    ALEXANDER:
    E naquele exato momento, senti de repente, um calor físico paupável. 
    Não do tipo que vem de um aquecedor, mas como quando uma mãe aperta a criança com frio no peito e aquece com a respiração consoladora de compaixão.
    Era um calor humano muito vivo.
    Ele penetra você, como se perfurasse seu coração e dentro do seu coração brota uma fonte da qual flui paz; uma impressionante, maravilhosa e reconfortante paz.
    Senti um toque tão amável e fraterno, a mão cuidadora de alguém no meu ombro.
    Eu senti isso de verdade,
    E este gesto traduzia as palavras (Mãos erguidas de Alexander e mãos dadas da igreja)

    “Você não está sozinho,
    Você não está abandonado,
    Estamos com você
    Compartilhamos do seu sofrimento!”

    A manhã seguinte foi um choque para os meus carrascos.
    Eles não conseguiam entender.
    Eu não estava apenas vivo, mas minha temperatura era a mesma de uma pessoa em condições normais.
    Ouvi um médico dizer a eles no corredor: “É impossível, não dá pra explicar!”

    CRISTÃ:
    Cerca de seis da meses depois, recebemos uma carta da PORTAS ABERTAS pedindo para orarmos para Alexander.
    Assim, finalmente descobrimos quem ele era.
    Já estávamos orando há 6 meses, sem saber nada sobre ele.
    Alexander tinha começado um movimento cristão que se espalhou pela união soviética.
    Por esse crime contra o estado, ele foi preso num campo de trabalhos forçados no norte da Sibéria, o local da pena de morte.

    ALEXANDER: Acontece que muitas pessoas haviam orado por mim e fizeram isso exatamente quando eles me libertaram.

    Alexander foi liberado de modo inesperado, sem explicações.
    A oração abriu as portas da prisão e, como diz o evangelho, libertou os cativos.
    Creia no poder da oração.
    Creia e ore!
    Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...